R --> franchise-predator

NPC: essa sigla tão temida...

E-mail Imprimir PDF
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

http://falerpg.mmotales.com.br/images/stories/artigos_fale.pngA grande maioria dos livros de RPG que eu já li deixa bem claro que se o jogo fosse um filme, os personagens de jogador (PJ) seriam os protagonistas.

Então como explicar aqueles jogos que giram em torno dos personagens do mestre, ou NPC, do inglês, non-player character? Ou os jogos onde esses personagens ofuscam os PJs, são criados para humilhá-los, ofendê-los, serem imortais e impossíveis de se derrotar?

Logo no começo da febre dos PBFs (o pessoal que era do Espaço RPG se lembra dessa época) pipocaram na internet pbfs em fóruns próprios, e muitos desses fóruns tinham essa característica de NPC como "ninguém pode comigo". Tantos foram os jogos que eu entrei apenas para me decepcionar, pois ao invés da história girar em torno dos PJs, ela girava em torno dos NPCs.

Eu já vi vampiro (em jogo de Vampiro a Máscara) que era aliado de Setita, morrer e virar anjo. Foi a última coisa que eu vi desse pbf, pois depois dessa mancada do narrador pra não perder seu NPC queridinho, eu não joguei mais aquela palhaçada. Eu já vi pbf narrado por várias pessoas, onde cada uma interpretava seu NPC poderoso, e os outros narradores narravam só para esses NPCs deixando o resto dos personagens a ver navios, ou quando muito, ver tudo o que ele tentava dar errado, sem motivo aparente, quando tudo o que os "NPCs" tentavam dava certo. Eu já vi um bocado de abuso e desvirtuamento da ideia inicial de que os PJs são os protagonistas e os NPCs são a parte viva do cenário.

Sim, cheguei ao meu ponto. NPC é cenário. É a parte viva do cenário, mas não deixa de ser cenário. Como parte da ambientação, os NPCs devem ser bem trabalhados, devem ser memoráveis quando a crônica pede. Devem brilhar sim, mas não devem ofuscar os PJs. Devem oferecer desafio, mas não algo impossível de se "vencer".

Enfim, eu já falei demais das minhas opiniões. Mas eu nunca consegui convencer um mestre/narrador adepto da ideologia de "ninguém pode comigo" para os NPCs a mudar os seus conceitos. Será que eu estou tão errada assim em acreditar que os PJs é que são os caras que devem brilhar e ser o foco central da crônica?

Abri esse tópico para que possamos discutir esses assuntos. O que é um NPC? Qual o papel dele na crônica? Como devemos utilizá-los? Qual NPC foi o mais marcante na sua vida e por quê? Foi um NPC que você criou ou foi de uma aventura que você jogou?

A ideia do tópico é, sem se prender a um sistema ou cenário, falar sobre NPCs.

 

CLIQUE AQUI PARA IR AO TÓPICO

 

Para enviar comentários é necessário estar logado no site. Se você está logado e não consegue enviar um comentário, verifique se você não foi punido com suspensão.

Acesso Rápido

Visitantes

Nós temos 76 visitantes online

Menu de Usuário

Meus Controles